Junte-se a 22.515 pessoas que
decidiram aprender tudo sobre Blogs,
SEO e Monetização.

Guest Post

Como acabar com a foliculite?

Conheça os cuidados que devem ser tomados para prevenir a inflamação da pele e como a doença pode ser tratada.

A foliculite é uma inflamação que acontece na raiz dos pêlos e que ocasiona o aparecimento de bolinhas vermelhas na região atingida. Além do prejuízo estético causado pela inflamação, é comum que essas bolinhas também gerem coceira, o que resulta em bastante incômodo. 

Embora a foliculite possa ocorrer em qualquer local do corpo onde haja a existência de pêlos, as regiões mais comumente afetadas por essa inflamação são o rosto, couro cabeludo, axilas, coxas, virilha e nádegas. O uso de produtos cosméticos pode ser aliado na prevenção e no tratamento da foliculite.

Causas da foliculite

A inflamação dos folículos pilosos, como é conhecida a estrutura de nascimento dos pelos, pode ser causada por diversos fatores. O principal deles é a Staphilococcus aureus, uma bactéria comum que se aloja na pele humana. No entanto, outras bactérias e fungos também podem ser responsáveis por esse distúrbio. 

Além disso, fatores externos também podem ser agentes causadores da foliculite. Alguns exemplos são o uso de lâminas de barbear, picadas de insetos, acne, dermatite, além do uso de roupas muito apertadas, que podem ajudar a reter umidade e calor em determinada região do corpo. 

Tipos de foliculite

Uma pessoa pode ser acometida por tipos mais leves ou pesados de foliculite. Entre as versões superficiais da doença, estão: 

  1. foliculite estafilocócica: tipo mais comum, é causado pela bactéria Staphylococcus aureus, que vive habitualmente na nossa pele, mas que pode causar inflamação após depilação ou barbear, por exemplo;
  2. foliculite por pseudomonas: aqui, a causadora da doença é a bactéria Pseudomonas aeruginosa, frequentemente encontrada em locais como piscinas, jacuzzis e banheiras de hidromassagem, quando os níveis de pH e cloro estão desregulados; 
  3. foliculite pitirospórica: a infecção é causada pela Malassezia, um fungo que vive na nossa pele e que pode gerar a doença em condições de hiperidrose (excesso de suor) ou de aumento da produção de sebo. Atinge, principalmente, costas, ombros e peito de homens adolescentes e adultos.

Já entre as formas profundas da foliculite, destacam-se:

  1. sicose da barba: trata-se de uma infeção profunda e crônica dos folículos pilosos da área da barba. As lesões costumam aparecer primeiro no lábio superior, caminhando depois para queixo e mandíbula. Casos mais graves podem gerar cicatrizes na região afetada; 
  2. foliculite gram-negativa: geralmente, esse tipo aparece após o uso prolongado de antibióticos orais para acne, que causam o desequilíbrio da flora bacteriana da pele; 
  3. furúnculos e carbúnculos: ocorrem quando bactérias afetam a porção profunda da raiz dos pêlos, originando lesões vermelhas, dolorosas e com formação de pus. Pode aparecer nas nádegas, pescoço, axilas e virilha. 

Sintomas da foliculite

Os sintomas mais comuns do aparecimento da foliculite são o surgimento de pequenas espinhas vermelhas (com ou sem pus), vermelhidão da pele, coceira e sensibilidade na região. 

Em casos mais graves, os sinais da doença podem evoluir, também, para grandes áreas avermelhadas, lesões elevadas e com pus amarelado; sensibilidade e dor na área afetada, além da possibilidade de destruição do folículo piloso e surgimento de cicatrizes.

Tratamento da foliculite

As medidas a serem tomadas para o tratamento da foliculite dependem da causa, tipo e gravidade das lesões causadas. Em casos mais leves, a doença pode ser tratada com medidas caseiras, como o uso de compressas mornas e úmidas várias vezes por dia na região afetada, além da higiene com água morna e sabonete antisséptico. 

A aplicação de pomadas ou cremes de uso tópico com propriedades anti-inflamatórias também pode ser recomendada. Por fim, em casos mais graves, um dermatologista poderá indicar a administração de medicamentos antibióticos ou antifúngicos, por exemplo, além de corticoides. Até mesmo uma intervenção cirúrgica pode ser necessária para que o pus seja drenado em situações de abscessos maiores.

Como prevenir a foliculite

O melhor tratamento sempre é a prevenção e no caso da foliculite não é diferente. Existem alguns hábitos que podem ser adotados no dia a dia que ajudam a prevenir o aparecimento da inflamação na pele.

Manter a pele limpa, seca e hidratada é ideal. Ao fazer a barba, o uso de gel, espuma ou sabão de barbear é mais que indicado, pois promove a lubrificação do local e evita cortes que podem causar a foliculite.

O uso de produtos antissépticos é indicado, mas com parcimônia, pois podem acabar atacando as bactérias protetoras do organismo. Evite, também, se manter em roupas de banho molhadas por muito tempo. Além disso, evitar alimentos gordurosos, beber bastante água e evitar o sobrepeso são cuidados que também ajudam na prevenção da doença. 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.