Junte-se a 22.515 pessoas que
decidiram aprender tudo sobre Blogs,
SEO e Monetização.

Códigos Blog

Como salvar dados usando o SQLite

Para quem trabalha com desenvolvimento mobile (uma das áreas que mais cresce no Brasil e no mundo), é importante saber como salvar dados usando o SQLite. Afinal de contas, o SQLite é uma opção relativamente parecida com o MySQL, mas é muito mais leve e simples, o que faz com que seja uma alternativa muito interessante para quem quer um sistema que puxe menos memória.

O SQLite é o banco de dados interno e oficial do Android (o sistema operacional mais usado do mundo). Para quem vai criar um app com versão iOS também, de fato não vale a pena usar o SQLite pois seria necessário fazer duas vezes o mesmo trabalho para a hora de criar a versão iOS. No entanto, para quem vai trabalhar só com Android, vale a pena explorar a possibilidade de usar esse banco de dados.

Quer saber mais sobre o assunto e aprender como salvar dados usando o SQLite? Então siga a leitura do artigo abaixo!

O que é SQLite?

O SQLite é um banco de dados feito em código aberto, com sintaxe SQL, transações e todos os recursos de um banco de dados relacional. Como ele é normalmente integrado ao Android, além de ser leve e rápido (exige somente 250 KByte para rodar), é perfeito para aplicações focadas em dispositivos que utilizam esse sistema operacional. No entanto, existem algumas limitações específicas que fazem com que seja necessário ter atenção com o recurso antes de usá-lo. Uma dessas limitações é que é necessário trabalhar apenas com os tipos de dados TEXT, INTEGER e REAL. Todos os outros tipos de dados precisam ser convertidos antes de serem usados nos bancos de dados.

No entanto, ele tem uma vantagem significativa: não fica armazenado em servidores (como o Microsoft SQL Server). Assim, cada um dos bancos de dados criados via SQLite é armazenado em um único arquivo de disco.

Como o SQLite já é incorporado em todos os dispositivos Android, é possível usá-lo de maneira muito fácil, sem nenhuma configuração extra. Basta apenas definir as estruturas das tabelas e quais são as operações que serão realizadas com os dados que foram armazenados no banco de dados.

Como salvar dados usando o SQLite?

Trabalhar com o SQLite é muito simples e pode ser feito de maneira relativamente fácil, dependendo da experiência que você já tiver trabalhando com bancos de dados relacionais, como o SQL e JDBC. Se você pretende entrar nessa área e trabalhar com grandes marcas de desenvolvimento, como a Mestres da Web (mestresdaweb.com.br), precisa saber tudo isso.

O processo é dividido em 3 estágios diferentes:

  • esquema e contrato;
  • criação do banco de dados;
  • manipulação dos dados.

O primeiro passo é determinar como é a estrutura do banco de dados. No SQLite, o processo é feito com a criação de uma classe guia, conhecida como “classe de contrato”, que justamente especifica a estrutura dessa tabela.

Essa classe abriga todas as constantes que definem os nomes para as tabelas, colunas e URIs dentro do banco de dados. Nela, devem constar todas as definições globais para todo o banco de dados. Assim, fica muito mais fácil puxar essas variáveis depois.

O segundo passo é criar o banco de dados. Ele é feito com as APIs de classe SQLiteOpenHelper. Nesse caso, o sistema vai executar automaticamente as operações de criação do banco de dados, bem como atualização dos dados quando for necessária (não na hora de ligar o aplicativo).

Por fim, o último passo é lidar com os dados no banco de dados. Para inserir novas informações, basta usar um objeto ContentValues com o método insert(). O processo é bem fácil, mas deve constar todas as estruturas do banco de dados. Caso uma delas não exista, basta colocar “null” para que o sistema não considere aquela informação.

Já para ler as informações do banco de dados, o método a usar é o query(). Insira dentro dos parênteses os critérios de seleção que você quer, variando de acordo com a sua tabela de dados.

Por fim, existem dois outros métodos importantes: o update() e o delete(). O primeiro deles serve para adicionar um novo dado dentro de uma linha já existente. Suponha, por exemplo, que você tenha dados de jogadores de futebol e o número de gols que eles fizeram na carreira. Sempre que um dos atletas marcar um novo gol, o método update() pode atualizar a contagem. Já o delete() apaga linhas inteiras ou apenas entradas específicas dentro da tabela, dependendo de cada caso.

Agora que você já viu como salvar dados usando o SQLite, já pode cogitar usar esse banco de dados nos seus projetos. É claro que talvez não seja a opção mais adequada para um grande aplicativo, com estrutura de tabelas bem complexa, mas é uma alternativa muito rápida e simples para quem precisa de uma estrutura mais modesta, com mais agilidade e dinamismo.

E aí, gostou do que viu? Então comente abaixo com a sua opinião sobre o assunto!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.