Junte-se a 22.515 pessoas que
decidiram aprender tudo sobre Blogs,
SEO e Monetização.

Guest Post

E-commerce: o que é e suas vantagens para o marketing digital

É verdade que o marketing digital está repleto de soluções e novidades constantes, o que, a princípio, pode parecer desafiador. Por isso, é preciso focar em estratégias realmente promissoras, como no caso das vantagens do e-commerce, que são muitas.

De fato, trata-se de uma das modalidades de venda que mais cresceu nas últimas décadas, e que tem revolucionado totalmente nosso modo de fazer compras, vendas, anúncios e publicidade no geral.

Desde a Revolução Industrial e do surgimento e disseminação da internet, poucas coisas foram tão disruptivas para o mundo dos negócios quanto o advento das lojas virtuais, mesmo as mais simples em termos de infraestrutura.

Hoje em dia, a ideia já evoluiu muito em relação aos anos 2000, que foi quando essa modalidade começou a se espalhar pelo mundo. Agora basta puxar o celular, fazer o pedido de um hambúrguer artesanal diferente, e o produto chega até você em poucos minutos.

No começo ainda havia algumas restrições no quesito meios de pagamento e formas de entrega. Além de que os smartphones ainda não eram tão desenvolvidos, então as pessoas pediam apenas pelo computador.

Também era muito comum haver receios quanto às formas de pagamento, e não era raro, ao menos no Brasil, os usuários ficarem com medo de passar informações pessoais, como os dados do cartão de crédito.

Já entre 2010 e 2015, mais ou menos, a legislação começou a evoluir em relação aos crimes digitais, aumentando consideravelmente a segurança online. Depois disso, ainda teve a pandemia, que pisou no acelerador das vendas pela internet.

Tanto é assim que, segundo pesquisa da Ebit|Nielsen, na 42ª edição do Webshoppers, o crescimento das vendas beirou os 50% nessa época, trazendo mais de 40 milhões de novos compradores, e um faturamento de cerca de R$ 100 bilhões.

Mais de 70% desses novos compradores continuaram depois da virada do ano, com o enfraquecimento da pandemia. Portanto, o e-commerce no Brasil permanece como uma das soluções mais promissoras que uma empresa pode implementar.

O mais interessante é que ele não tem restrições quanto a segmento. Ele é sempre positivo, seja para vender produtos populares como tênis, joias e alimentos, seja para anunciar serviços mais nichados, como os de uma clínica veterinária popular.

Por isso, decidimos escrever este artigo. Se você quer entender melhor quais as vantagens do e-commerce para o marketing digital da sua empresa, basta seguir adiante na leitura.

O que exatamente é um e-commerce?

O e-commerce nada mais é do que uma palavra em inglês que indica o “comércio eletrônico” no geral. Em termos técnicos, ele vai além da simples loja virtual, podendo incluir outras modalidades, como no caso dos marketplaces.

Esses marketplaces ou plataformas de venda são como shoppings centers. Tratam-se de grandes portais digitais nos quais é possível encontrar várias lojas anunciando, seguindo vários formatos possíveis de negócio, tais como:

  • B2B (Business to Business): negócios entre empresas;
  • B2C (Business to Consumer): entre empresa e cliente final;
  • C2C (Consumer to Consumer): duas pessoas físicas;
  • D2C (Direct to Consumer): empresas e cliente final.

Há outras modalidades existentes, como o B2E (Business to Employee), entre empresas e funcionários. Como uma marca de hidratante para o rosto pele oleosa que venda para seus colaboradores, mas essas nem sempre dependem da internet.

Já outros tipos, como o C2C, cresceram – e muito – graças ao e-commerce. Tanto que hoje é muito comum uma pessoa física entrar em sites para anunciar produtos que não vai mais usar, e outras pessoas físicas comprarem.

De modo geral, o comércio eletrônico fomentou todas essas modalidades. Especialmente quando comparamos sua curva de crescimento no mundo: como vimos acima, ele passou por fases, assim como o futuro promete avanços ainda maiores.

Se no começo era apenas o computador, depois vieram os smartphones, hoje há o horizonte da Internet das Coisas, que vai conectar carros, geladeiras e até nossas roupas às redes. Assim, quem sabe, um eletrodoméstico vai poder fazer compras “por conta”.

Omnichannel: a ponte entre canais

Nos últimos anos, o conceito de omnichannel tem se disseminado bastante no Brasil. Trata-se da ideia de que uma marca precisa promover uma experiência unificada em todos os canais possíveis de comunicação ou contato com o cliente.

Por exemplo, se você tem uma loja física e uma virtual, é de desejar que os preços, prazos e mesmo o atendimento sigam mais ou menos a mesma lógica. Assim, o mundo offline e o online começam a andar juntos.

Foi-se o tempo em que loja virtual era desculpa para demorar na entrega, ou para deixar o cliente pendurado no telefone. Hoje, as grandes marcas estão praticando o omnichannel, portanto, a tendência se torna quase obrigatória para todos.

Imagine se a loja vende saco de dormir para bebê, e depois de comprar pelo site surge um imprevisto e a pessoa simplesmente precisa retirar na loja mais próxima. Ao ter um sistema integrado para resolver algo assim, a marca ganhará pontos com o cliente.

Tanto é assim que muitos varejos têm trabalhado a opção “click & collect”, ou seja, compre e retire na loja. Esse exemplo serve apenas para demonstrar como o e-commerce é um universo de possibilidades, e seu avanço já faz parte da nossa rotina.

Como dar os primeiros passos?

Outra vantagem incrível do e-commerce nos dias de hoje é a sua facilidade de implementação. De fato, se no começo era preciso ser ou contratar um programador, para desenvolver toda a linguagem do site do zero, atualmente não é mais assim.

Se alguém decide apenas começar a revender peças de decoração, como espelho decorativo sala de jantar, é possível comprar um domínio (o valor costuma ser anual, e é bastante acessível) e criar uma loja virtual gratuita, com poucos cliques.

As tecnologias atuais são do tipo “clica e arrasta”, e os layouts e templates já estão prontos, baseados em paletas bastante variadas. Assim, você escolhe a cara do seu site com base nas cores da sua marca, e pronto.

Tirando proveito dos marketplaces

Outra solução para dar os primeiros passos é a dos marketplaces, já citados acima.

Como se trata de plataformas autônomas, qualquer pessoa jurídica ou mesmo física pode apenas anunciar, desfrutando daquela infraestrutura.

Lembrando que elas não lidam apenas com produtos, mas também com serviço. Assim, alguém que faça limpeza fachada pode anunciar seu trabalho com poucos cliques, e mesmo sem fazer propaganda, já vai começar a receber contatos.

Afinal, os marketplaces têm toda uma rede de networking e de publicidade que já está girando antes do anunciante chegar. Além disso, as tecnologias de venda e de despacho quase sempre são integradas, facilitando mais ainda a parceria com eles.

Sobre horários de funcionamento

Além da facilidade de iniciar e do investimento baixo, outra vantagem incrível que o e-commerce traz para uma empresa é que o seu funcionamento é em tempo integral.

Em um primeiro momento, pode parecer que isso só tenha a ver com a disponibilidade. Ou seja, com o fato de que o cliente vai poder comprar a qualquer hora, 24h por dia, nos sete dias da semana.

É claro que isso já tem um peso enorme na decisão e no marketing de qualquer empresa. Mas ainda existe outra vantagem: o fato de que a infraestrutura será bem menor. Imagine o sistema de vendas de uma fábrica de peças plásticas.

Além de levar em conta a infraestrutura e contas fixas como água e luz (que a loja virtual não tem), é preciso considerar o time de vendas de uma fábrica. Hoje, um e-commerce bem implementado, pode vender mais do que uma equipe inteira.

Rompendo com todas as fronteiras

Além do funcionamento integral do e-commerce, também é preciso considerar que sua atuação não tem fronteiras, ou elas são bem menores do que as de uma loja virtual.

Antes, se uma marca quisesse estar em todo lugar, ela simplesmente precisava abrir lojas físicas em todos os cantos do país, marcando presença em cada avenida, shopping ou galeria que considerasse importante.

Uma loja virtual tem o poder de unificar todos os seus esforços apenas no site, que então pode ser acessado por qualquer pessoa do país, ou mesmo de fora dele.

Mesmo que se trate de um serviço que exige uma equipe atuando fisicamente, como no caso de uma empresa de automação de casa, é possível expandir, formando essas equipes a distância e trabalhando em regimes como de home office ou coworking.

Considerações finais

Seja pela infraestrutura enxuta ou pela disponibilidade integral de um e-commerce, ficou claro que uma marca já não pode ficar de fora dessa opção.

Além de todas as vantagens citadas acima, ainda temos a simples questão de posicionamento de marca. Na atualidade, ao ouvir falar na sua marca, a primeira coisa que o cliente faz é buscá-lo na internet e ver se consegue comprar online.

Tudo isso deixa bastante claro como o e-commerce se tornou indispensável para o marketing digital de qualquer negócio, podendo trazer vantagens tanto no curto quanto no médio e longo prazo.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.